quarta-feira, 19 de agosto de 2009

O Perfume



Caro Diário,

Finalmente terminei de ler o livro O Perfume. Eu decidi ler porque ví apenas o final do filme e gostei muito, e como tenho mania de começar a leitura pelo final do livro, não tive problemas. Para quem não conhece é a história de um rapaz que nasceu com o olfato aguçado mas fica deprimido quando descobre que não tem cheiro próprio, então passa a buscar o aroma perfeito matando mocinhas lindas e virgens, se passa na França, no século XVII, ele descreve com muitos detalhes a elaboração de um perfume, pois o assassino é um perfumista. Tive a sensação de que estava sentindo todos os aromas do livro, incluse os ruíns. Aliás eu sempre achei que a Idade Média fedia muito, porque quando vejo filmes ambientados daquela época tenho a impressão de que todo mundo é sujo, fedorento e que Paris, hoje tão linda e romântica, era muito nojenta, cheia de gente feia, pobre, suja e fedida, igual a descrição do livro.
No final ele é acusado de matar as donzelas, e é condenado a morte, mas consegue o perfume ideal (retirado de cada virgem que matou) hipnotiza a multidão com o aroma, todos começam a tirar a roupa e vira aquele bacanal, um final bem "Filme Europeu". No meio do bacanal ele foge para outra cidade, toma banho do perfume e morre atacado por mendigos, que o comem vivo, pois o consideram um anjo.


FIM

2 comentários:

Tamirys disse...

Caramba, eu também sempre achei que a idade média fedia horrores! auhuaushauhsausha
Parece manero esse livro; fim triste...

Adorei seu gosto para filmes, rss. ^^

Bjs.

Jessica Berdych Laviere disse...

Oiii Flor!saudades daqui!
Eba!layout novo!
Quanto ao post,já vi um pedaço do filme queria ter visto tudo,mas ainda não deu.
Sabe que costumo ter a mesma impressão daquela época.

Beijos!